quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

OMG, a Língua está Mudando

Pois é, dizem as más línguas que quando um povo se isola acabam surgindo diferenças. Quando é por pouco tempo, na linguagem; quando por muito, até na fisiologia. O exemplo da fisiologia foi o que deu origem às diferentes etnias, e o da linguagem deu origem aos diferentes modos de se comunicar verbalmente.
Por exemplo, o sânscrito. Antigo bagarai, deu origem aos idiomas e dialetos da Índia e arredores (na Índia tem línguas e deuses de todos tamanhos, formas e cores, pra todos os gostos). O latim, mais conhecido nosso, em um lapso de sorte, se misturou com o grego e em menor escala com outras línguas e acabou se transformando na Língua Portuguesa, com letra maiúscula e tudo. Teve menos sorte com o espanhol, que eu acho uma língua muito feia, mas teve sorte parecida com o italiano, que é show de bola.
Mas o que acontece quando nenhum povo está isolado, todos interconectados através desta rede amada idolatrada salve salve que é a internet? Poucos tem o direito de arriscar uma resposta.
Por que a internet, assim como foi a televisão em sua própria época, é uma grande mudança. Quem foi criança antes de mim deve saber melhor disso. Milênio passado computador era raro, e hoje em dia abundam lanhouses em qualquer lugar. E por isso não dá pra saber as conseqüências a longo prazo, por que é a primeira vez que as crianças tem quatro “genitores”: o pai, a mãe, a televisão (que foi também pai/mãe/educador da geração passada) e a internet.
Mas uma mudança significativa está em âmbito lingüístico, e isso não é nenhum palpite meu, está acontecendo de fato.
A começar com o internetês. Filho direto do português com o computador/SMS/MSN, essa linguagem é bastante útil por que economiza caracteres e dinamiza as conversas via messenger. Todos o conhecemos, e depois de um mês sendo assíduo freqüentador de orkut e chat qualquer um já é craque para decodificar o que os outros estão dizendo. Algumas palavras do internetês:
q = que
qt/qto = quanto
qd/qdo = quando
td/tdo = tudo
tb/tbm = também
bm = bem
c = se
bj/bjo/bju = beijo
abs = abraço
flw = falou
rs = risos
rsrsrs = muitos risos
E por aí vai. A moral é diminuir o número de letras sem alterar o sentido, trocando sílabas por letras que a representem (cá por k) ou engolindo vogais inúteis (não lembrei de nenhuma, hehehe).
O vc é um caso á parte. Por que essa palavra é alvo de muitas diminuições ao longo do tempo. De vossa mercê, passou para vosmecê, então para você, em alguns lugares é ocê ou cê, e na internet assumiu a forma vc, ou v6 quando no plural. Outro caso criado com o internetês é a carinha feliz :), que também pode ser carinha triste :(, com rabo de cavalo :)~, mandando beijo :* ou mostrando a língua :P.
Outro caso especial são as risadas. Um bom "falante" de internetês não se satisfaz com um simples hehehe, hahaha, hihihi ou similar, ele usa husahusahusahusahusahus para demonstrar que ele está realmente se rindo todo do outro lado da tela. Isso quando o capslock não entra na parada, por que quando entra shUSHAUSHAUshUSHusahuSHUsahusHUShu é por que a pessoa está morrendo de rir, sem conseguir respirar, se debatendo no chão e ainda assim conseguindo teclar contigo.

Indo mais fundo na genealogia do português, percebemos que o internetês ficou careta, qualquer um usa. Então o internetês, através de inseminação artificial, teve um filho com a rebeldia e a carência, ao som de muito Simple Plan, que chamamos carinhosamente de miguxês. O nome é derivado da sua mais conhecida palavra: miguxo. Quando ler um texto em miguxês, você deve estar psicologicamente preparado para imaginar, sempre, que a pessoa que fala está falando meio pra dentro, com as mãos cruzadas na frente do cinto de couro, escondendo o pescoço, beicinho, com a maior cara de pidão do mundo. Qualquer coisa que ressalte a atitude emo que estiver ao alcance do teclado.
Mas em termos práticos, o miguxês é muito complicado. Ele não facilita a vida da pessoa, pelos xxx que entram na conversa. Mas é bem bonitinho, quando não é irritante.
Se você quiser escrever em miguxês, deve botar som de ch (mas escrevendo x) no lugar dos s's. E inventar algumas palavras: miguxu, coleguxu, morixu... E plural é sempre com x também: miguxux, coleguxux, morixux. No resto, eleve as características do internetês à máxima potência.
Nas gargalhadas, faça parecer que você teve um ataque em cima do teclado. Nada de se conter com h, u, a e s. Pode k, l, p, f, g, r, tudo. Desde que inspire vontade no seu coleguxo de MSN de chamar a SAMU, tá valendo. E emoticons, nossa, solte a criatividade. Se quer dar um beijo grande, mande dois pontos seguidos da intensidade do beijo, tipo :*********. Se misturar isso com mudanças de cores e botar em negrito/itálico/sublinhado, a coisa no fim pode parecer obra de arte.

Indo ainda mais fundo na fertilidade da mente virtual, encontramos o tiopês, que tem traços do miguxês, mas tem como idéia central inversão de letras e acréscimo desnecessário de acentos e símbolos gráficos. Gato vira gaot, idiotice vira iidotiec, essas coisas. Não existem letras maiúsculas, por que um verdadeiro tiopense tem total incapacidade de apertar duas teclas ao mesmo tempo.
Há algumas palavras inventadas também. Essas surgiram em círculos de amigos nerds. Você pode reparar quando puder, que onde tem um grupo nerd, existem algumas palavras ou sinais que só eles entendem, para que possam chamar de noobs ou wannabes quem não entender. Segue uma lista de palavras encontradas no tiopês que um amigo meu postou na comunidade da turma:
/euri <-- EU RI
fikdik <--- Fica a dica
gaydacu <--- viado
q <--- ? (sim, literalmente o ponto de interrogação)
-q <--- ? (sim, literalmente o ponto de interrogação)[2]
-qqqqqqqqqqqqqqqqqq <---- WTF
tiopes consiste em escrever tudo junto e ateh msm errado (inverter algumas letras e talz)
substituir o UEI por AY (de gay) tbm eh uma modinha do tiopes....
Nota: WTF vem do internetês inglês, e significa what the fuck.

Mais indecifrável do que o tiopês só a língua do 1337 (leet). Essa surgiu em rodinhas de nerds (mais uma), que tinham uma calculadora científica e tempo livre de sobra. Não que isso seja um crime. Eu e meus colegas conseguimos fazer uma calculadora dizer "belos seios" virando o visor de cabeça pra baixo e apertando algumas teclas, ;). Depois que saiu das calculadoras ociosas e veio pra net, a língua do 1337 incorporou ao seu alfabeto símbolos e tudo o que tiver no teclado (e o que não tiver no teclado também. Alguns mais viciados sabem algumas manhas pra conseguir qualquer símbolo teclando uma sequência numérica enquanto segura alt). Matemática vira M473m471{4, e o resto das palavras é ainda pior.

Enfim, para onde nossa língua está evoluindo? Qualquer coisa é uma evolução, mas bah, as pessoas me olham como se eu fosse um alienígena por escrever certo, hehehe.

Abs p/ tds!

"Depois da reforma ortográfica, nunca mais trema na linguiça".

3 comentários:

Kari disse...

Eu tô sem fôlego... De verdade...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
(opa! qual língua é isso mesmo?)

Bom demais essa crítica ao esquecimento do bom português que andam fazendo por aí...

Beijão pra tu

Antônio disse...

Cara, esse texto tinha que ser publicado num jornal, revista, enfim, algo de maior circulação.

Ver um adolescente de 15 anos com esse tipo de opinião inteligente, consistente e fundamentada sobre "a última flor do Lácio", bah, é digno de admiração eterna.

É por isso que tu mora no meu coração, guri!

Abraço!

Seidl. disse...

Nossa, não conhecia esse teu lado aê. :O
adorei o texto :]]
e eu ri dos comentários ali :x sauidhiauhd

beeijão :*