sexta-feira, 1 de maio de 2009

Mundo Estranho

Acordei em um dia dessa semana, sem saber que haveria algo diferente. Fiz tudo normal, mas aos poucos fui notando estranhas mudanças ao meu redor.
Primeiramente, não fiquei com sono em nenhum momento da manhã, sendo que tradicionalmente eu dou umas pregadas de olho de alguns segundos. Consequentemente, peguei rapidamente a matéria, algo que não acontecia desde o ano passado com a minha pessoa.
Passou-se algum tempo, sem mudanças estranhas ou interessantes. Então, como era dia de coral, desci pro centro. Ao passar pelo viaduto, estavam andando na minha direção duas garotas. Tudo certo, bonitas, aparentemente simpáticas entre si, e quando passam por mim uma delas estende a mão para mim e na mão dela tinha um desses panfletos que se entrega na rua. Instintivamente estendi a mão, ela era bonita né, fazer o quê. Quase que eu caio na brincadeira da tirana. Mas recuei a mão a tempo de evitar passar por um possuidor de bobice desmedida. Elas riram, eu ri, e continuei andando.
Mais adiante no caminho, um carro vermelho passa por mim e eu olho para o motorista. Por um microssegundo ocorre aquela centelha elétrica de reconhecimento. O carro anda mais um pouco e então estaciona na calçada. Eu dou uma corrida, pensando “Eba, carona!” e quando olho para o motorista, o motorista me olha de volta e nós ficamos nos olhando, quando eu brilhantemente quebro o silêncio constrangedor perguntando “Eu te conheço?”, ao que ele me responde “Não sei”.
O diálogo segue por mais três ou quatro frases curtas, onde ele me pergunta onde eu estudo e para onde estou indo. Aparentemente, ele me conhece do Orkut, mas meu sentido aranha me avisou do perigo de ser um desses engraçadinhos que acham que podem inventar novas formas de seqüestro. Então, falei no melhor jeito amigável possível que valeu a gente se vê, e ele não pareceu se importar com a minha retirada para que ele pudesse começar a se chamar de idiota que fica parando a qualquer momento para ver se conhece um rapaz que estava passando.
Depois desse episódio, passei a notar que todas as pessoas na rua estavam invariavelmente simpáticas, quando sempre é o contrário. Ah, acabei ficando de bom humor também, não dá pra evitar.
Cheguei no ensaio, tudo normal, fui pra casa com uma idéia de post para o blog. Isso, principalmente, foi o que eu achei estranho. Tempão sem escrever e do nada me dá essa lâmpada piscando acima da cabeça com uma idéia. Mas, claro, cheguei em casa, tomei um banho e o entusiasmo foi todo junto no ralo.
Mas hoje retomei a idéia, e está aí o resultado. Estava com saudades disso.

Enfim, espero que amanhã, quando eu acorde, o mundo – ou eu, afinal não sei o que mudou – continue assim como está agora.

Abraços fortes!

5 comentários:

Kari disse...

Há dias em que, simplesmente, acordamos bem!
E então, que se mantenha!!!!

Ei guri! Saudade de tu!!!!!
Um beijão, visse?!

Candy disse...

O.o

Lay disse...

Hum... Que bom que vc teve um bom dia e que ruim que esses dias são raros, acredite: pra mim, idem.
Manda notícias menino, você (e eu também, admito) some por muito tempo.

Beijos.

Hélio Machado disse...

É tão bom quando o mundo resolve ser legal...ahshuauhshuauhsauh

Aconteceu algo parecido comigo, eu estava andando no centro e uma mulher ficou me olhando...Eu parei e fui até ela, perguntei: Te conheço???

Ela respondeu: Não!

Curioso que só, perguntei: Então pq vc ficou parada me olhando?!?!?!?!

A RESPOSTA FOI ÓTIMA: Pq você também ficou me olhando!

hushauhsuhaushuhuahsuhuhauha

Conclusão: dois patetas, provalmente ambos com sono.

Abraço cara!Os teus textos são ótimos!

Gabi disse...

Há uns tempos atrás foi a minha vez!!!
Saí de casa pra trabalhar, atrasadíssima, os cabelos presos meio desalinhados, aquela cara de quarta-feira. Atravessei a avenida correndo, fazendo sinal pro ônibus.
Ganhei um olhar daqueles do cobrador, logo de cara. Um que outro passageiro também pareceu prestar muita atenção em mim.
Depois, já pertinho do meu trabalho, mais umas olhadelas dos transeuntes... "Bah!!! to podendo!!!" e segui em frente, "cheia de si!'.
Foi o tempo de entrar no elevador e ver que metade do meu cabelo tava branco e duro da espuma do sabonete que usei pra lavar a cara... nada como o bom e velho Dove! De angelina-jolie-com-a-bunda-da-juliana-paes para cruela-cruel...

Adoro esses dias!!!
beijão!